Voltar

15/06/2017 11:59

Prédio do antigo Colégio São Luiz recebe visita técnica

Na última terça-feira, 12,o antigo Colégio São Luiz recebeu uma visita técnica do Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural (Condephac), para avaliação e sequenciamento das obras de recuperação e restauração do prédio.

Estiveram presentes o arquiteto e representante do Condephac Gustavo Picarelli, o secretário municipal de Turismo, Cléber Centini Cassali, engenheiro Adriano Grasson, o engenheiro civil Márcio André Bronzat, da empreiteira Flasa Engenharia Ltda, além de engenheiros da Secretaria Municipal de Obras.

Para o representante da Condephac, Gustavo Picarelli, as obras estão paralisadas e a visita técnica servirá para avaliar a situação atual da estrutura do prédio. Em relação as estruturas metálicas foram concluídos 75% dos trabalhos, restando 25 % que representa a conclusão das demais estruturas de sustentação do prédio. Também foram detectadas pontas de ferrugens na estrutura metálica que se encontra no relento. “Com a presença dos representantes da Prefeitura, engenheiros e responsáveis pela empresa, será elaborado um pormenorizado relatório que será encaminhado as autoridades competentes. Com essa providência esperamos conseguir a liberação dos recursos para a continuidade das obras”, disse Picarelli.

Conforme Márcio, engenheiro da empresa que realiza a obra, a primeira fase foi a retirada de entulhos, os trabalhos de fundação e instalação da estrutura metálica até o terceiro nível dos módulos, 2, 3 e 4, ficando pendente o módulo 1 que depende do repasse para conclusão. “As obras para dar sequência depende do repasse do DADE. Foram executados 34% da totalidade da obra e estamos aguardando parte do pagamento dos serviços já realizados,” afirmou o engenheiro.

O próximo passo deverá ser a execução da estrutura metálica do módulo 1, que possibilitará a execução da cobertura, providência esta que resguardará a estabilidade do prédio, e a continuidade do serviço de chapisco na parte interna, dando, assim, sustentabilidade na obra.

Na avaliação do engenheiro Grasson, existem pontos que necessitam de cuidados e estão em situação de risco, “As paredes originais foram feitas de tijolos com argamassa de barro e estão sem proteção, ao relento, gerando risco localizado. Dando sequência e realizando a cobertura do prédio, as paredes, fachadas e divisões internas estarão mais protegidas.” frisou o profissional.

O antigo Colégio São Luiz fica localizado na rua Conselheiro Rodrigues Alves, próximo ao Jardim Público.

Origem do Teatro Carlos Gomes

O Teatro Carlos Gomes foi inaugurado em 1894 com capacidade para mil pessoas. Durante 15 anos foi palco de peças teatrais regionais, estaduais e internacionais, mas em 1914 o Teatro foi à falência por problemas financeiros. O prédio após ter ficado fechado por anos, graças ao trabalho conjunto da Câmara Municipal e a Diocese de Bragança Paulista, foi reformado e em 1928 foi inaugurado o Colégio São Luiz, que funcionou até a década de 60.

Com a extinção do Colégio São Luiz, o prédio passou a ser utulizado por outras instituições, como a Fundação Municipal de Ensino Superior (FESB) e o Colégio João Carrozzo.

Em 2005, a Prefeitura adquiriu o prédio, que se tornou patrimônio histórico municipal, utilizado até 2006. Após anos fechado e passando por deterioração e depredação, o prédio passou por um incêndio em 2010, que destruiu toda parte interna do patrimônio.

Em 2011, a Administração Municipal iniciou o processo para recuperação do patrimônio histórico da cidade, com o objetivo de transformar o local em um centro cultural. O prazo de conclusão era de 15 meses ao custo de R$4 milhões, após constatada irregularidades na obra por meio de Ação Civil no Tribunal de Contas do Estado de São Paulo.

. Em 2012, foi anunciado o início das obras com apoio do Governo do Estado, mas em pouco tempo os trabalhos paralisaram novamente, foi alegado que os recursos empregados eram insuficientes, necessitando novas fontes de recursos aditivos ao orçamento previsto, o valor passou a ser de cerca de R$ 6,8 milhões em 2012.


← Voltar